Os diferentes tipos de proteína e suas formas de serem suplementadas

Proteína de arroz (rice protein) – é uma proteína isolada e hipoalergênica, indicada para vegetarianos, celíacos, intolerantes a lactose e para quem possuem alergia a proteína do leite. Indicada para aumentar a massa muscular, possui altas quantidades de metionina e contendo de 6 a 8% de leucina, aminoácido que age a regeneração das fibras musculares.

Os benefícios estão tanto na sua composição de aminoácidos quanto no fato dela não conter glúten ou lactose. Aqueles que, mesmo não sendo vegetarianos e não podem consumir o whey pela presença de lactose e glúten, podem fazer a substituição desse suplemento pela proteína integral do arroz.

Proteína de ervilha (pea protein) – Proteína isolada e hipoalergênica, indicada para vegetarianos, veganos e para quem possui intolerância à lactose, à proteína do leite ou doença celíaca, ganham com o consumo deste suplemento. Esta proteína é ideal para quem deseja aumentar a massa muscular, excelente fonte de ferro, zinco, arginina e BCAA, além de ter alta quantidade de lisina;

É uma boa opção para pessoas que praticam exercícios físicos e apresentam hipertensão arterial. A arginina encontrada na proteína isolada da ervilha é um excelente agente vasodilatador e com isso acaba reduzindo a pressão arterial. Também por causa disso, indiretamente, esse suplemento ajuda na prevenção de doenças renais que podem se desenvolver decorrentes da hipertensão.

Proteína da carne (beef protein) – proteína isolada, também indicada para quem tem intolerância à lactose, alergia à proteína do leite ou doença celíaca. Ótima opção para melhor da performance e recuperação muscular. Possui todos os benefícios da carne vermelha, sem grande quantidade de gordura e em alguns casos, zero de gordura e baixos teores de sódio e colesterol. Otimiza o ganho de massa muscular e a perda de massa magra, contém naturalmente creatina em sua composição. A quantidade de aminoácidos é superior à proteína do soro do leite (Whey);

Proteína de soja – a proteína isolada da soja foi à primeira proteína vegetal utilizada em substituição às proteínas do soro do leite e caseína. Suas propriedades já estão muito bem comprovadas em estudos científicos. Excelente qualidade de aminoácidos e velocidade de absorção, possui dois aminoácidos importantes e em quantidades maiores que a proteína do soro do leite (Whey), a arginina e L-tirosina. Entretanto, muitos questionam a procedência. Com isso a indicação se tornou cautelosa.

Proteína de colágeno – O colagénio é uma proteína essencial produzida em grandes quantidades pelo organismo, indispensável para a elasticidade do tecido e regeneração. O colagénio está presente na composição do osso, pele, ligamentos, cartilagem e tendões. É fonte de peptídeos bioativos, ácido orto-silício biodisponível e vitaminas A, C e E.

Tem ação rejuvenescedora da pele, de dentro pra fora; melhora a hidratação cutânea; diminui a formação de rugasm flacidez e linhas de expressão; auxilia na proteção dos ossos e articulações;

Proteína do soro do leite (whey protein) – A proteína do soro do leite ou WHEY PROTEIN é um dos suplementos mais consumidos por praticantes de atividade física com objetivo de aumentar a massa muscular, recuperação muscular e diminuir índice de lesões. Não é indicada para vegetarianos, veganos ou que apresentam a doença celíaca. As proteínas do soro de leite são altamente digeríveis e rapidamente absorvidas pelo organismo. Apresentam excelentes quantidades de aminoácidos essenciais e elevadas concentrações dos aminoácidos triptofano, cisteína, leucina, isoleucina e lisina.

As proteínas do soro do leite podem estar nas seguintes formas:

CONCENTRADA
A forma concentrada contém em torno de 29 a 89% de proteína. Normalmente é obtida por processo de ultra filtração, ou seja, um filtro que permite a passagem das moléculas menores como lactose, gordura e resíduos, e concentra as maiores.

ISOLADA
É a forma mais pura da proteína do soro do leite, constituída em 90% ou mais por proteína pura.
Pode ser obtida através de 2 processos : microfiltração ou pela troca iônica (processo considerado o mais eficiente, atingindo 100% de pureza). Contém pouca ou nenhuma gordura ou lactose.

HIDROLISADA
As proteínas do soro do leite hidrolisadas estão na forma de dipeptídeo e tripepitideo, o que proporciona uma velocidade máxima de absorção.
Tanto a proteína concentrada quanto a isolada podem ser hidrolisadas. Este é a forma mais filtrada e altamente processada. É facilmente digerida e tem potencial reduzido para reações alérgicas.

PROTEÍNA ISOLADA E HIDROLISADA
Existem ainda produtos que possuem as duas propriedades. É a proteína pura ou quase pura que temos na proteína isolada tradicional com a absorção rápida e completa da proteína hidrolisada. Absorção de quase 100% de uma proteína de alta qualidade.

ATENÇÃO: A escolha do tipo de PROTEÍNA, quando e como usar vai depender da alimentação, objetivo e fase de treinamento da pessoa. E deve ser prescrito pelo nutricionista.

 

 

Por Rafael Góes,

Nutricionista esportivo funcional da Clínica Patrícia Davidson Haiat

CRN 04100

Leave a Reply