Causas do Desequilíbrio entre Bactérias do Bem e do Mal no Organismo

Sempre ouvimos falar que somos o que comemos, mas, na verdade somos o que ABSORVEMOS! A questão é:  como está a absorção de nutrientes? Vocês sofre com gases, intestino preso, azia, refluxo, candidíase, compulsão por doces? Tem a língua branca? A barriga estufa depois que come?

Estes são apenas alguns indícios do desequilíbrio entre as bactérias patogênicas e as bactérias probióticas (bactérias do bem!), processo chamado de DISBIOSE.

Este desequilíbrio pode começar a partir do momento em que nascemos: o tipo de parto influencia a colonização do intestino. Estudos mostram que bebês que nascem de cesárea têm uma microbiota intestinal com perfil patogênico, ou seja, com maior quantidade de bactérias que causam doenças.

A amamentação também influencia: crianças que mamam apenas pelo seio apresentam muito mais probióticos (“bactérias boas”) em seu intestino, bem como menos diversas bactérias patogênicas.

Ao longo da vida, a alimentação rica em carboidratos refinados como doces, pães, bolos e outros produtos derivados de farinha branca estimulam a proliferação de fungos no intestino, que podem provocar candidíase quando a presença de bactérias probióticas não é suficiente para evitar o quadro.

Muitos problemas citados pelos pacientes como queda de cabelo, unhas fracas, dificuldade de ganho de massa muscular, dificuldade de digestão e baixa imunidade são decorrentes de má absorção.

Para entendermos o impacto do desequilíbrio em nossa saúde, precisamos saber como as bactérias probióticas  atuam no organismo:

  • Produzem algumas vitaminas do complexo B e vitamina K;
  • Produzem enzimas digestivas;
  • Têm ação benéfica na imunidade;
  • Produzem substâncias antibióticas para reduzir a proliferação de bactérias patogênicas e com isso diminuem a ocorrência de doenças;
  • Permitem a renovação da mucosa intestinal promovendo a boa absorção de nutrientes;
  • Reduzem os níveis de colesterol;
  • Facilitam a eliminação de toxinas pelo organismo.

Já dizia Hipócrates: “A má digestão é a causa de todo o mal”. Muitas vezes o foco do paciente é a perda de peso, mas ela não ocorrerá de maneira satisfatória se não tratarmos a raiz do problema, que é o intestino. Precisamos melhorar a saúde intestinal para garantir que a alimentação será bem aproveitada, por isso a necessidadse de tratar a disbiose para que os nutrientes possam ser absorvidos de maneira adequada.

ass_pd_raissa_fernandes

Leave a Reply