Como a nutrição pode contribuir com a fertilidade?

post-jessica-noboa-nutricionista-nutricao-fertilidade-patricia-davidson

 

 

 

 

 

Por Jéssica Nóboa – Nutricionista Funcional

Já é consenso que o estado nutricional e o estilo de vida das pessoas pode trazer uma série de conseqüências à nossa saúde, mas ainda poucas pessoas trazem esse raciocínio para o sistema reprodutivo, tanto feminino quanto masculino. Inclusive, esse é o primeiro alerta que quero fazer. Vejo muitos profissionais investigando e fazendo diversas estratégias apenas com a mulher, sem olhar o parceiro. Mas é necessário lembrar que 50% da carga genética vem do homem, por isso é necessário também um manejo nutricional para ele. Assim é possível melhorar o perfil do espermatozóide (qualidade, quantidade e motilidade) e otimizar a fertilidade.

É alarmante na diminuição na taxa de fertilidade da população mundial e o aumento da procura por fertilizações e induções de ovulação, por isso muitas pesquisadas tem sido desenvolvidas nessa área. Hoje sabemos que a obesidade, estresse, sedentarismo e baixa qualidade do sono são fatores associados a um aumento da infertilidade ou a desfechos gestacionais indesejados.

A correção do peso, quando feita através de uma estratégia nutricional adequada, a mudança do estilo de vida, a detoxificação do corpo (através de suplementos e terapias específicas) e o fornecimento de nutrientes específicos podem melhorar tanto a frequência ovulatória quanto a qualidade do sêmen, aumentando a chance de ocorrer a fecundação. Ou seja, quando um dos membros do casal necessita de um tratamento de infertilidade, recomenda-se que ela seja aplicada a ambos, independentemente do peso. Um casal saudável tem mais chances de engravidar!

Durante o tratamento é importante investigar alimentos que possam estar atrapalhando os resultados, pois insistir no consumo de um alimento inadequado pode desorganizar o intestino, o metabolismo e o sistema imune, assim garantimos que a estratégia seja totalmente personalizada, respeito as pessoas como seres únicos e individuais. Em relação ao padrão alimentar, os consensos recomendam um perfil de dieta mediterrânea, onde são consumidas carnes brancas, grãos integrais, oleaginosas, sementes, azeite, além de frutas e verduras em abundância. Esse tipo de alimentação aumenta o fornecimento de antioxidantes e vitaminas do complexo B, fundamentais à fertilidade.

Se você está tentando engravidar eu daria as seguintes orientações:

  • Inclua 2 porções de frutas orgânicas ao dia – para aumentar a ingestão de nutrientes e antioxidantes, isentos de pesticidas e aditivos químicos
  • Não coma doces e farinhas brancas – o aumento da glicose e da insulina, além de aumentar o peso, atrapalham a fertilidade
  • Use o azeite de oliva acidez abaixo de 0,5% como principal fonte de gordura – possui ação antioxidante e cardioprotetor
  • Reduza o consumo de produtos lácteos – muitas vezes são os responsáveis pelo aumento da inflamação no corpo
  • Reduza o consumo de carne vermelhas – são alimentos também potencialmente inflamatórios, fontes de gordura saturada.
  • Faça uma atividade física regularmente – além de melhorar a circulação, ajuda na melhora da composição corporal e da disposição.

Além disso, é importante conversar com o profissional que está te acompanhando sobre algumas mudanças do dia a dia que podem estar atrapalhando também como: tipo de embalagens em que você está armazenando sua comida, tipo de desodorante e de shampoo ideal, contaminação por metais pesados, alterações genéticas e alergias ou intolerâncias alimentares. A abordagem tem que ser múltipla, assim aumentamos muito a chance de sucesso da fecundação e da gestação inteira!

Leave a Reply